28.10.03

As Entrevistas da Rata

Ana Gomes é actualmente uma das figuras políticas nacionais de maior destaque. Era óbvio que a rentrée d’As Entrevistas da Rata teriam que a ter como convidada para um diálogo esclarecedor que permitisse ao país perceber as suas límpidas e concisas ideias. Mesmo assim a conversa de Ana com a Rata foi diversas vezes tumultuosamente interrompida por vários telefonemas aos quais a resposta era sempre a mesma – ‘Eu estou-me a cagar para o partido!’.

A entrevista:

Rata Maluka – Bom dia Ana, tudo bem?
Ana Gomes – Tudo bem, obrigado. Posso fazer-lhe uma pergunta?
RM - Claro querida. Eu adoro perguntas...
AG – O que votou nas últimas eleições?
RM - Bom… o que votei? Acho que votei abaixo um moreno de olhos verdes, mas nada de especial, diga-se! Sem importância...
AG – Ahahah, a querida é divertida. Vai ser bom falar consigo.
RM - Ana, teve uma entrada difícil no PS, com muitas críticas internas. Isso incomodou-a?
AG – Eu sabia que isso iria acontecer. Os pára-quedistas são sempre alvo de resistências. E a esperança é sempre a última a morrer. Mas eu não vim para o PS por aquilo que é mais associado ao para-quedistas, para além dos saltos, que é a procura de lugares. Nem sequer vim à procura de meninos para me deleitar, embora gostasse da visibilidade que esses conseguiram. Vim para fazer a diferença. Reconheço com humildade que parte das críticas são justas, embora não tenha gostado da gracinha que o secretário-geral espalhou na última reunião do partido, que eu não era boa de língua na cama!
RM - E ele disse isso? Ai o maroto, aposto que isso não é nada verdade.
AG - Bem pode apostar, eu na cama exalto-me ainda mais que em frente ás câmaras. Sou uma devassa, e gosto de ser a figura de relevo no chavascal.
RM - Pois… acredito.
AG – BEM PODE ACREDITAR.
RM - Calma Ana, não se exalte. Aqui não temos câmaras. Voltemos ao PS, concorda com a estrutura do partido?
AG – Não conheço a estrutura partidária e estive seis anos fora. Preciso de um cargo bem importante para me ambientar um pouco melhor.
RM - Para as europeias acha possível uma candidatura conjunta com o PCP, mesmo quando ainda se vendem t-shirt’s com a imagem de Estaline ?
AG - Qualquer entendimento será numa base programática, baseada na importância em que contribuirá para a vitória final.
RM – Considera um entendimento com o PSD possível?
AG – Não, isso não, senão não teríamos ninguém a quem ganhar. Isso não faria qualquer sentido.
RM - Jaime Gama seria um bom cabeça de lista para as europeias?
AG – O PS não tem falta de bons cabeças de lista. Jaime Gama é um deles, é muito experiente.
RM - Pois, então responda-me lá a isto: O Rui Costa seria um bom número 10 para o Euro?
AG - Portugal não tem falta de bons números 10. Rui Costa é um deles, é muito experiente.
RM – Como eu previa... E António Guterres um bom candidato para as presidenciais?
AG - O PS não tem falta de bons cabeças de lista para as presidenciais. Guterres é um deles, é muito experiente.
RM - Original, sem dúvida. Oregões é o seu ingrediente favorito nas pizzas?
AG – As pizzas não têm falta de bons ingredientes. Oregões é um deles, é muito experiente.
RM - Experiente? Disse experiente? Os oregões?!?
AG – Eu disse isso?... Bom eu queria dizer que era um ingrediente habitual. Confundi-me, peço desculpa.
RM - Como recebeu a notícia da libertação de Paulo Pedroso?
AG – Por telemóvel, três dias antes da libertação. Foi o secretário-geral que me ligou. Ele é um querido.
RM – E como se sente?
AG – Bem, obrigado, mas já bebia um copinho de água.
RM - Ok, como se sente com a libertação de Paulo Pedroso?
AG – Sem surpresa, mas com contentamento, porque tinha apostado com o Jaime Gama que o nosso secretário-geral já sabia da libertação há muito tempo. Assim foi fácil ganhar-lhe o lugar para as europeias.
RM – E não tem nada para dizer a Paulo Pedroso?
AG – Tenho, claro. Não te candidates às europeias, senão tens que levar com os chatos dos jornalistas belgas.
RM – Acha que Paulo Pedroso é inocente?
AG – Eu não acho, tenho a certeza. Estou consciente que ele ainda não está ilibado, mas vi reforçada a convicção de que virá a sê-lo. O acórdeão confirma a percepção de que as acusações não têm ponta por onde se lhe pegue, são escandalosamente frágeis e aleivosas.
RM – O acordeão?!?
AG – Sim, aquilo dos juizes.
RM – Pois… não está então ressentida com as pessoas do partido que a confundem no PS como uma política que se aproveitou do mediatismo da questão de Timor para cavalgar nos quadros do próprio partido?
AG – Não, claro que não. No PS confundem-me muito com a mãe do Nuno Gomes, com a mulher do Fernando Gomes, outros pensam que sou filha do marechal Costa Gomes, mas com uma política nunca me confundem.
RM – Pois realmente deve ser complicado, tanta confusão vai naquele partido.
AG – Mas eu até gosto, sou sincera. Na última reunião fui o centro das atenções!
RM – Das atenções? Quer dizer das críticas...
AG – Sim, também é um facto, fui o centro.
RM – Só para terminar, a nível pessoal quais as suas preferências?
AG – Homens. Quase sempre homens. São menos confusos, mesmo os que pertencem ao partido. Mas a minha preferência vai inteirinha para algo que aprendi na passagem por Timor, o orgasmo.
RM – O orgasmo, só em Timor? Nunca tinha tido um antes?
AG – Tinha, mas não se compara com o que o Guterres me proporcionou em Timor!
RM – O Guterres?!? Consigo em Timor?
AG – Sim, o meu querido e saudoso Guterres...
RM – É capaz de ser mais explícita?
AG – toque-me aqui, por favor.
RM – Aqui? Não sei se deva…
AG – Mais á esquerda, por favor.
RM – Aqui?
AG – Sim.
RM – Continuo?
AG –Sim, sim. Isso, não pare.
… … … … …
RM – E esse orgasmo sai? Já tenho os dedos adormecidos...
AG – Ai ... ui... ui... ai...
RM – Sim?
AG – Ai... ui... ai... tarak! Aitarak! Aitarak! Aitarak!
RM – O Guterres, hein...


Trimmmmmm trimmmm trimmm... e o telefone acabou com a entrevista!

Portem-se mal, mas com classe!

Rata

27.10.03

Paz à sua alma

Como devem ter reparado, na sexta-feira o contador de visitas ao site fugiu. Já obtive informações de que foi visto a vaguear pelas ruas de Nassau, de camisa florida, mas não posso adiantar mais nada sobre o assunto. Qualquer dia está a pedir asilo político.
No Domingo coloquei outro, que começou do zero.
Talvez fosse uma boa altura para começar de novo e tentar melhorar os conteúdos deste blog, mas duvido que isso alguma vez vá acontecer.
Para trás fica a memória de um contador que viveu apenas dois meses e que registou quase vinte mil page views, tudo por culpa vossa!

Que o contador descanse em paz, amén.

Rata

24.10.03

Revista de imprensa

Hoje, ao passar pela zona das empregadas de limpeza (embora na porta apareça escrito – “Técnicas de Higiene e Limpeza”), pude ler um dos mais belos exemplos da qualidade da imprensa escrita do nosso país.
Não, caros leitores, não foi o Expresso, foi pior. Foi a revista Maria. O mais belo exemplo nacional de como juntando 7 páginas de sexo hilariante com 60 páginas de banalidades se pode obter uma... revista!
Mas, ao contrário do que semanalmente acontece, desta vez a Maria procurou avisar, embora de forma subtil, todos os portugueses, e em especial os bragantinos, do flagelo que algumas atitudes menos correctas poderiam causar na imagem de Portugal por esse mundo fora.
Hoje, a revista Maria pode orgulhar-se de ter previsto há 6 ou 7 anos a chegada de dezenas de brasileiras para a cidade de Bragança, e as causas dessa mesma chegada.
Senão reparem:

“ Estou casada há 5 anos e, há uns meses, vimos filmes pornográficos e repetimos as cenas de sexo. O sexo anal é bom mas quando chaga a oral, o meu marido quer ejacular na minha boca e isso mete-me nojo! “

M.C. - Bragança, in Revista Maria

Rata

22.10.03

O dia d’O Meu Pipi

Na passada semana recebi um divertido convite da Oficina do Livro a convidar-me para a apresentação do livro d’O meu Pipi, por simpatia da Charlotte, que é uma querida.
Infelizmente não vou poder estar presente por razões profissionais. Mas estarei concerteza no próximo livro!

Rata

Os comments

Como já devem ter reparado, resolvi dar aos meus leitores a oportunidade de comentarem os post que vou colocando, e de se poderem conhecer uns aos outros.
Devo desde já esclarecer que, à excepção do primeiro comentário do post anterior a este, nunca mais colocarei comentários nos comments.
Isso será tarefa exclusiva dos leitores.

Portem-se mal, mas com classe!

Rata

21.10.03

Para candidatos a gestores

Tenho como dado adquirido que todos vós já receberam mail’s a convidarem-vos a gerir fortunas megalómanas provenientes de países africanas.
Mas na verdade ainda nunca recebi nenhuma escrito em português, o que na minha opinião dificulta a angariação dos gestores por parte dos donos dessas tão propaladas fortunas.
O que vão ler (se continuarem...) a seguir é uma contribuição minha para com o senhor Mohammed Abacha, que gentilmente me pediu para lhe ‘refazer’ o mail em Português:

------------------------------------------

Caro amigo,

É durante uma erecção que lhe escrevo para aferir da sua disposição em colaborar na seguinte situação, abaixo descrita:

Vou antes de mais apresentar-me: O meu nome é Mohamed Dah Ah Pheida, filho mais velho de Sani Dah Ah Pheida (antigo chefe militar da frente revolucionária pela libertação da zona franca da Papua Nova Guiné e presidente honorário do Pheidongos Cricket Club) que morreu subitamente a 15 de Março de 1998.

Consegui o seu contacto através da ajuda de um amigo de um primo meu que tem uma sobrinha que é cunhada do pai de uma senhora que costuma frequentar o mesmo café do General Jaghunço Dah Énadah.
Você é o estrangeiro honesto que inevitavelmente será a solução para a salvação da minha família.

Após ter notado a grande confiança que o Gen. Énadah deposita em si, fiquei convencido da sua honestidade e boa vontade para me ajudar a conseguir receber a soma de US$100000Million (… o mesmo número de zeros em €…) que secretamente o meu pai me deixou de herança.
Até ter total confiança em si o dinheiro permanecerá discretamente guardado numa companhia de Seguros algures no planeta.

Quando for altura ser-lhe-ão fornecidas indicações seguras de como e onde deverá investir a fortuna que colocarei nas suas mãos.
O dinheiro será em principio investido na compra de um estado independente onde eu possa de imediato assumir as funções de Presidente. Para si ficará reservado o cargo de Ministro das Finanças, e terá a trabalhar para si o Primeiro Ministro.

Por cá as coisas estão cada vez mais complicadas, o actual Presidente Muchango Mubanba Chinguilla Butonbo está a vingar-se dos tempos em que era escrevo sexual de meu pai, e este o sodomizava delicadamente.

A minha família está tão desesperada que arriscaremos mesmo uma fuga para o seu país.
Por forma a aferir das suas condições para administrar correctamente o dinheiro que lhe será cedido temporariamente, necessito no entanto que passe por um pequeno número de passos que visam perceber a sua capacidade de fazer bons investimentos com elevadas quantias de dinheiro, e os seus dotes culinários.
Para tal deverá informar-nos:
- do número das várias contas bancárias que possui;
- dos respectivos códigos (não esquecer isto!),
- da lista de acessórios sexuais que habitualmente utiliza (p.e. escova de dentes, vassoura, algemas, extintor, etc.),
- uma carta pessoal manuscrita na língua nativa da Papua Nova Guiné a explicar a sua posição sobre a prescrição dos crimes das FP-25.

Como prova da boa vontade do povo Papuense, poderá não dar resposta a uma das alíneas anteriores, sem ter de se preocupar em perder os 25% da fortuna que lhe será oferecida para gerir.
Se for uma das primeiras pessoas a responder a esta selecção será ainda agraciado com um tapete de arraiolos com a figura de meu querido pai, totalmente grátis.

Atenciosamente,

Mohamed Dah Ah Pheida

------------------------------------------

Portem-se mal, mas com classe!

Rata

P.S. – gostaria de agradecer ao senhor Mohammed Abacha pela disponibilidade e carinho demonstrado durante a tradução.

16.10.03

Amigos para sempre!

Faz hoje precisamente 3 meses que nasceu este blog. Foram 3 meses que passaram rápido. Até hoje a Rata viveu numa semi-clandestinidade, uma vez que se contam pelos dedos de uma mão as pessoas que sabem que sou eu que poluo este blog. Ás melhores amigas eu não consegui resistir.

Hoje cabe-me dar a conhecer a 4 grandes amigos da minha vida este meu blog, embora peça desde já desculpa aos meus habituais leitores (que cada vez são mais e já ultrapassaram o mítico número sete…), estes momentos egoístas de prazer.
Os quatro têm em comum o facto de nunca se terem relacionado sexualmente comigo, o que não deixa de ser significativo.
Vou tratá-los pelos sobrenomes, sob pena de alastrar ainda mais a identidade desta maluka!
Para o Duque, o Silva, o Fernandes e o Santos, todos eles fãs d’ O meu Pipi, um valente pontapé na bilha!

Duque: São momentos como aquela ida solitária á praia, envolta num choro desmedido, que fazem da amizade aquilo que conhecemos. Os gemidos em Si Menor, a caminho da bolorenta cantina da universidade ficarão para sempre nas minhas memórias, isto para não falar dos duetos com Plácido Domingo em plenos auditórios, que tornaram finalmente a universidade num antro de cultura.

Fernandes: As vicissitudes da vida afastaram-te para uma licenciatura abichanada, e o nosso afastamento foi inevitável. Essa carapinha branca sabe, no entanto, que pode contar sempre com esta maluka para o que der e vier. Foste tu que, inconscientemente, deste origem a este blog, com aquela interminável conversa em que me tentaste convencer que havia um gajo na net que escrevia obscenidades com uma classe inigualável.

Silva: Foi contigo que aprendi tudo sobre ‘censos’ e foi contigo que fiquei a saber que afinal o Vale e Azevedo era um senhor. Coisas tuas, eu diria. E será a ti que recorrerei quando precisar de uma pílula do dia seguinte. Mas nada jamais se comparará aquela boleia que te dei em pleno capot do meu bolinhas e que terminou com uma aterragem atribulada, em forma de queda. Mais uma vez desculpa-me, ela não sabe o que faz!

Santos: Foste tu que pela primeira vez me fizeste pensar que se calhar teria sido engraçado ter um irmãozito. E foste tu que me perguntaste pela primeira vez se eu já me masturbava. É a ti que eu não consigo enganar e é contigo que eu não consigo disfarçar. Sem ti a minha vida teria sido bem mais enfadonha. Nada mais posso acrescentar.

Que sejam sempre tão felizes como eu, é só o que vos desejo.

Rata

15.10.03

O repto!

Para quem, como eu, confesso, vagueia muito tempo pela ‘blogosfera’, é impossível não ficar deliciada com algumas coisas que vejo escritas em alguns blogues.
Ontem foi mais um exemplo. Não é que a nossa menina Virgem, não sabe ainda quem é uma das mais deliciosas personagens que por cá andam – Manuela Mello.
E aproveito a oportunidade para dizer que também acho que o estilo da nossa Virgem encaixa claramente na ‘personagem’ Júlia, filha de Manuela Mello. Pena é que, pelos vistos, tal não seja verdade.
E daqui lanço o meu repto:
- Júlia, filha, deslarga-te do saiote da tua mãe e penetra no mundo dos blog’s! Vais ver que te delicias.


Rata

Sexo oral com desconhecidos

Mais vale tarde que nunca, e este post será uma tentativa, mesmo que frustrada, de elucidar o Pedro Vaz, que amavelmente me escreveu no já longínquo dia 11 de Setembro. Há pessoas que nos dias célebres se lembram sempre das dúvidas mais importantes.

Cara Rata,
venho pôr-te uma dúvida que me consome há anos. Qual é a predisposição real das mulheres a que um desconhecido lhes faça sexo oral? Para nós homens só tem a ver com o aspecto da rapariga. Mas e para vocês? Nunca aceitariam? Só aceitariam se o desconhecido fosse igual ao Brad Pitt? Ou basta que o desconhecido não seja desfigurado??
Espero que me possas elucidar.

Pedro Vaz


Bom, caro Pedro, é com um sorriso lábios que o vejo ‘encarnar’ a opinião de todos os homens. Mas não me convence com essa do aspecto da rapariga, pois quando se dirigem a uma rapariga perdida numa berma de estrada, não é por certo pelos lindos olhos dela. Ou tão pouco pelo peito ou pelo rabo.
No caso das mulheres talvez isso seja um pouco mais possível.
No meu caso, nunca permito ou faço sexo oral com desconhecidos. Decididamente.
Mas já se passaram situações em que, para não quebrar esta minha regra, tive de contar em 5 minutos (o caminho para o apartamento é quase sempre curto...), a minha vida quase toda.
Mas sexo com desconhecidos, nunca.
Uma mulher ainda tem que ter princípios, caramba!

Portem-se mal, mas com classe!

Rata

10.10.03

Se houver quem ainda não seja do Alcanenense...

É por não gostar de futebol que sou do Alcanenense. Tal como compreendo como é que há portugueses que conseguem ser de outros clubes. O Sporting, o Porto podem jogar bem e o Belenenses e a Académica podem calhar bem em sociedade, mas só o Alcanenense, como o próprio nome indica, é o próprio Alcane. Que nense.

Só o Alcanenense pode jogar mal sem que daí lhe advenha algum mal. Basta olhar para os jogadores para ver que sabem que são os maiores, que não precisam de esforçar-se muito, porque são intrínseca e moralmente a maior equipa do mundo inteiro.

Porquê? Ninguém sabe. Mas sente-se. Quando perdem, não se indignam, não desesperam. O Zé Chalinga só chorou quando jogou pelo Vidigueira. Quem joga no Alcanenense tem o privilégio e o condão de estar sempre a sorrir. Não conseguem resistir.

O Alcanenense, a bom ver, nem sequer é uma equipa de futebol. É um nome. É como dizem os brasileiros, uma "griffe". Têm uma cor. Antes de entrar em campo, já têm um mito em jogo, já estão a ganhar por 3-0, graças só à reputação. Quando o Alcanenense perde, parece sempre que quis perder. Essa é a força inigualável do Sport Lisboa e Alcanenense - faz sempre o que lhe apetece. O problema é que lhe apetece frequentemente, perder.

Qual é o segredo do Alcanenense? São os alcaneneiros. São do Alcanenense como são filhos de quem são. Ninguém "escolhe" o Alcanenense, como ninguém escolhe a Mãe ou o Pai. Em geral, aliás, os alcaneneiros odeiam o Alcanenense e lamentam-no no estádio e em casa, mas pertencem-lhe. Quanto mais pertencemos a uma entidade superior, seja a Família, a Pátria! , Deus - ou o Alcanenense, mais direito, temos de criticá-la e blasfesmá-la. Não há alternativa.

Em contrapartida, os sportinguistas e portistas parecem genuinamente convencidos que apoiam as equipas deles porque são as mais dignas ou as melhores. Desgraçados! Se fossem coerentes, seriam todos adeptos do REAL MADRID, AC MILAN, etc, etc. No Alcanenense, não se exige qualquer lealdade. Só se pede, em relação aos adeptos de outros clubes, caridade e comiseração. O Unidos de Freixolas, por exemplo, tem a mania e a pretensão de ser "rival" do Alcanenense, um pouco como o PSN se julga crítico parlamentar do PSD. Mas, se se tirasse o Alcanenense ao Unidos de Freixolas, o Unidos de Freixolas deixaria de existir. O Alcanenense é um grande clube porque tem história e talento suficientes para não dar importância aos resultados. Tem uma tradição de "nonchalance" e de pura indiferença que não tem igual nos grandes clubes europeus. O Alcanenense não joga - digna-se jogar. Não joga para vencer - vence por jogar.
Odeio futebol. Mas amo o Alcanenense. As opiniões de quem gosta de futebol são suspeitas. Claro que os sábios são do Alcanenense. Mas a força deste grande clube está nos milhões que são alcaneneiros apesar do Alcanenense, apesar do futebol, e apesar deles próprios. Em contrapartida, aposto que a totalidade de pessoas que são do Sporting ou do Porto, por infortúnio pessoal ou deficiência psicológica, são sócios. A força do Alcanenense, meus amigos, está em quem não paga as quotas, que não vai a jogos, quem não sabe o nome dos avançados - isto é, no resto do mundo. O Alcanenense, é o Alcanenense. E o que tem de ser - e é - tem muita força. !

Adaptação miserável de um texto do delicioso Miguel Esteves Cardoso!




Portem-se mal, mas com classe!

Rata

8.10.03

O SexyHot contra-ataca!

O canal da TVCabo SexyHot tem sofrido uma queda substancial nas suas audiências, que segundo um estudo encomendado à Deloitte & Touche, se ficou a dever ao aparecimento na TVI do BigBrother4.
Posto isto, o SexyHot decidiu apostar forte na pornografia de origem brasileira (o mais parecido ao BB4 que conseguiram...).
Foram então contratados dois novos realizadores de topo do país irmão (Joylson Cavalcanti e Genivelson Gaúcho) que depois de um estágio de 15 dias a verem o canal 43, finalmente deram à luz a mais esperada obra desde o Garganta Funda2!
Ainda sem título original, a nova película já está em rodagem, e a Rata conseguiu junto dos realizadores o exclusivo da primeira cena, que junta os personagens Carlita Coelhita e Ricardo Machão.


... ... ... ... ... ... ... ... ...

CC: Ai amor, não chega pertinho de mim que eu já tou fervendo...
RM: Uéé… porquê não, eu gosto de você quentinha.
CC: Não faz isso, não morde eu que a minha carne é fraca.
RM: Ai gostosa, dá pra mim, dá.
CC: Ai caramba, assim eu não resisto...
RM: Toca em minha pica, vai…
CC: Ui, caramba, que pica enorme, cara! Isso é tudo prá mim?
RM: Todinho, todinho seu… vai, chupa ele…

… … … … … … … … …

RM: Isso, isso… ai gostosa, isso, isso chupa ele todinho...
CC: Amor? Eu quero você todinho dentro de mim...
RM: Você quer mesmo é?
CC: Quero, quero sim… mas bem devagarinho pra num machucar minha buceta...
RM: Isso, bem devagarinho… bem devagarinho… aaiiiiii!
CC: Uiiii porra, uiiii…
RM: Isso, aguenta. Aguenta minha doida! Doidona!
CC: Ai caralho, sua pica é bem gostosa... dá ela toda pra mim, vai! Rápido, mais rápido...

… … … … … … …

RM: Aaaiiiiiiiiii… tá gozando tá?
CC: Tou, tou sim… mas agora quero por trás, bem no meu cúzinho, amor?
RM: Uiii, é bem fechadinho, ele …
CC: Então abre ele, amor… bem devagarinho prá eu gozar... aiiii!
RM: Aiii caralho, que maravilha, gostosa…

... ... ... ... ... ... ... ... ...

CC: Ai… eu vou gozar amor… eu vou gozar…
RM: Goza boneca, goza… goza alto!
CC: AIIIIIIII... AIIIIII, CARALHO... TOU GOOOOOOZAAAANDOOOOOOO!!!!!
RM: Aiii... não aguento mais... não aguento mais... vem cá, vem!
CC: Vem, vem, vem prá mim!
RM: AIIIIII... AIIIII.... GOSTOSA! AIIIII....

... .... ... ... ... ... ... ...



Observação: O uso exagerado das reticências tem como intuito principal evitar a repetição exagerada de expressões idênticas.
Caso não o tenham feito, procurem reler o diálogo, mas em voz alta e com sotaque brasileiro! Vão notar que fica bem pior...

Portem-se mal, mas com classe!


Rata

5.10.03

Mãe do JoãoHugoFaria?

Tenho lido com um sorriso nos lábios o que a Dona Melo tem escrito no seu blog.
E não resisto a voltar a agradecer-lhe a atenção que me tem dispensado, embora ache que não a mereço.
Mas o mais curioso, é que não consigo deixar de pensar que esta senhora é aquilo que eu sempre pensei que pudesse ser a mãe do nosso desaparecido João Hugo Faria, saudoso director de sistemas conceituado, que muita falta faz a este Mundo dos blog’s.
Espero que a sua ausência se deva à procura do seu mítico diploma, perdido algures pelo sul da América.


Rata

Que pena!

A minha mãe não sabe o que é um blog.
E eu tenho dúvidas que me apeteça explicar-lhe.

Rata

3.10.03

A 2ªvez!!!

Depois de semanas de elogios (só o meu gato elogiou-me mais de 3 vezes...), eis que num ápice aparece a segunda crítica.
Ainda para mais veio criticar-me ao meu humilde blog, bem no meio da minha GuestBook!
Eu bem me parecia que mais cedo ou mais tarde alguém iria acabar por ler estes disparates, mas dizer-me para ir para casa, assim sem mais nem menos, não me parece justo.
Tenho a impressão que isto é tudo obra da minha mãe, afinal, quem mais me deseja tanta felicidade junto da minha família?
Mãe, prepara-te, que hoje vamos ter uma conversa séria!

E para si, Manuela, obrigado pelo reconhecimento!

Rata

2.10.03

As comadres

Qual não foi o meu espanto quando me apercebi nos últimos dias que vários blog’s faziam referência à Rata Maluka, eu própria!
Estas referência, no entanto, eram sempre simpáticas, ou quase, e cheguei mesmo a agradecer via e-mail algumas das simpatias, mas eis que sem mais nem menos um querido leitor me alerta para o blog destas comadres!
Que maravilha de blog, pensei logo!
É um luxo poder ter o prazer de ler o que senhoras tão distintas e educadas pensam.
Tenho é muita pena que não gostem do que eu escrevo.
Eu, que me esforço tanto para que gostem de mim, e que tento ser tão ‘in’, tinha logo que ter o azar de não ter nascido num berço de ouro!
Má sorte, decididamente.

Rata

1.10.03

Bloguista Típica!

Aqui vai um auto-retrato sobre as minhas características bloguistas, baseado num post do Avatares de Desejo, que tem em consideração os 17 pontos que se seguem:

1- Ler a coluna de opinião do Público e do DN!
Não leio, mas já é um começo, porque agora já sei que existem colunas nesses sítios.
2- Usar o Google com perícia para se armar nas discussões em público!
Normalmente prefiro usar um cacete, mesmo que nem sempre seja para as discussões! Mas o Google também não é mau de todo.
3- Conhecer a biografia de pelo menos um destes famosos: JPP, FJV, PM!
Sem usar os links teria que pensar meia hora para descobrir quem eram os célebres... mas sei tudo sobre eles, incluindo o facto de eles nada saberem sobre mim, e isso não ser problema para eles. Mas já me disseram que eles tinham blogues, o que começa já por ser um bom sinal....
4- Utilizar o Pedro Rolo Duarte como o anto-cristo local!
Esse gajo é um verdadeiro cromo. Mas como deve fazer um uso devido ao Rolo que tem no nome (sim, referia-me ao processo de introdução do mesmo pelo cú acima!), está temporariamente desculpado. Temporariamente, repito.
5- Ter um clube de afeição para poder postar às segundas-feiras (Conselho pessoal: o porto permite sair sempre por cima)!
Para sair sempre por cima eu tenho o João, o Miguel, o Pedro, a equipa de futebol do meu bairro, o meu vizinho do lado e outros. Não me parece que necessite de um clube, mas estou aberta a propostas.
6- Ter um poema de reserva para citar quando o site-meter der mostras de fragilidade!
Um poema? Citar um poema? Num blog? Mas quem é que fez este raio deste questionário?
7- Tratar por "tu" a vida e obra de Tolstoi!
Se visse o Tolstoi tratá-lo-ia pôr tu na boa! À sua vida já tenho dúvidas, mas nunca se sabe.
A sua obra nunca! Nem se o Louça dissesse alguma coisa de jeito! Nunca, repito. Desde que ele (e mais 6...) comeu a Teresa Guilherme no episódio piloto do BB1, que para mim, Tolstoi deixou de ser uma referência.
8- Fingir ardor nas discussões mesmo que o tema seja indiferente!
Se fingir orgasmos quando o gajo não me diz nada também valer, então digo SIM!
9- Falar d@s respectiv@s apenas quando já se tem uma reputação consolidada ou mais de 30 anos!
À questão da reputação não me parece relevante. Já a questão da idade serve para nos aperceber-mos que experiências com o mesmo sexo são radicais, mas nem sempre bem sucedidas!
10- Saber onde é que o Iraque fica no mapa
Toda a gente sabe que o Iraque fica no mapa. Até Portugal fica!
11- Fazer periodicamente a ode de um cineasta de que ninguém ouviu falar!
Nunca fiz nenhuma ode. Mas quando encontrar a pessoa certa, garanto-vos que a farei, e até mais do que uma vez se ele quiser.
12- fazer alusão à fnac uma vez em cada 15 dias
Tive um colega no Liceu que era o fnac. E ele não vendia livros nem nada que se parecesse. Mas tinha uma ‘obra’ de respeito.
13- tentar juntar copos e livros no mesmo post para dar prova de excentricidade.
Copos e livros para parecer excêntrica? Ó meu amigo, acorde! Se ainda fossem 3 fulanos, umas algemas e um chicote, agora livros???? Este mundo está perdido!
14- dizer uma asneira de vez em quando (mostra inconformismo)!
Olha, queres ver que eu sou uma inconformada por natureza?
15- Utilizar o dicionário on-line para apoiar a escrita!
E que tal dar uns erros, ah? Apelar ao espírito criativo, homem!
16- Inventar mails recebidos para dar um ar de interactividade ao blogue!
Isso é muito bom, especialmente quando os mail’s que se recebem são quase sempre impossíveis de se ‘postar’! Mesmo assim qualquer dia arrisco um que recebi sobre ‘Sexo Oral a desconhecidos’.
17- Dar algumas gralhas ara mostrar um certo negligé!
Gosto de dar umas boas gralhas e não me custa nada mostrar a negligé. Eu sou assim. E não desgosto.

Como podem constatar facilmente por esta espécie de questionário, sou uma bloguista típica e perfeitamente integrada na Blogosfera.

Portem-se mal, mas bloguem!

Rata

De volta à carga

Depois de vários dias de afastamento por razões profissionais, estou de volta.
Tenho que confessar que já estava com saudades disto!

Portaram-se mal na minha ausência? Espero que sim!

Rata