31.12.04

2005!

No Natal desejei a todas umas rabanadas em família.
Agora que o ano acaba desejo a todas vós muitas rabanadas, mas não necessariamente em família...
Para o Mundo faço como as candidatas a Miss QualquerCoisa, muita Paz no Mundo e que no Sudeste Asiático melhorem as condições de drenagem... e não, não vou brincar com o hit brasileiro – ‘Olha, olha, olha... olha a onda! O tubarão vai ti pegar... ’.

Aleluia, Aleluia!


Portem-se mal, mas com classe!

28.12.04

Ermelinda Natalina

Esta altura do ano, vá lá saber-se porquê, lembra-me o Natal! E para mim o Natal é tempo de recordões...

Sim, eu sei, que tudo são recordações...

Este ano finalmente descobri um dos mistérios da minha infância. Quando tinha 13 anos, por azar, ouvi duas das freiras do Colégio onde estava interna dizerem uma para a outra:

“Mostra-me a tua rata* e dir-te-ei quem és!”
Durante muito tempo fiquei a pensar neste repto. EMINEM não faria melhor, Vanda Stuart não seria tão ousada...

Mas eis que neste Natal, após muitas páginas lidas num recanto de solidão, se fez luz:


“ ...embora a vagina não esteja exposta ao público, ainda assim pode ser o
núcleo do seu estilo pessoal. Use-a com sabedoria. Quer esteja a lidar com
tratamentos exteriores, quer com mobiliário no interior, permita que o conforto
a inspire e a utilidade a informe... e não seja sovina. Trata-se da sua vagina,
e só tem uma. Não viva no terror de que os seus convidados descubram que, por
baixo desses brincos brilhantes Harry Winston e desse espantoso vestido Cristian
Dior, existe uma vagina da cave da Zara...




Depois disto não foi possível evitar pensar na irmã Ermelinda...



Portem-se mal, mas com classe!

* adaptação do termo originalmente proferido

23.12.04

OHOHOHOHOHOH!

A Rata deseja-vos um Feliz Natal!
Amem-se e no final, em vez de um cigarro, entrem no espírito e comam uma rabanada!



Portem-se mal, mas com classe!

18.12.04

Vida difícil!

Levantar às 8h e fazer compras toda a manhã, almoçar de fugida às 14h e voltar para as compras, contando chegar apenas ao início da madrugada não é fácil!
Desenganem-se os que pensam que vida de mulher é fácil...

Portem-se mal, mas com classe!

15.12.04

E agora?

No passado Domingo recebi a notícia de que o PSR, esse montro da vida política activa portuguesa deixou de fazer sentido, e naturalmente de existir, como partido político.

Tenho que admitir que fiquei em choque.

Em choque não pelo PSR, a quem desejo em rigor que descanse em paz, mas por ter percebido uma natural concordância entre todos com a expressão ‘deixou de fazer sentido, logo deixou de existir...’.
Isto é muito grave minhas amigas! É quase escancarar um precedente, não estivessemos nós na política...

E o nosso agora mediático Presidente da República, não diz nada? Vai esperar uma semanita? E não convoca os ex-residentes da Quinta para se aconselhar? E Cavaco, não lança um livro? E Soares, não faz anos? E será que Santana e Portas ainda correm separados? E Cinha, vai ser candidata a deputada pelo círculo eleitoral da Merdaleja, pelo menos até uma semana antes das eleições?

Temo que este PSR tenha ingerido cicuta em vão...




Portem-se mal, mas com classe!

14.12.04

A cruz do Cruz

Depois de informações contraditórias sobre a opinião acerca das decisões de Ana Peres, proferidas por Serra Lopes e Sá Fernandes, advogados de Carlos Cruz, hoje, em directo, tivemos direito a uma pérola:

Jornalista para Serra Lopes: Ontem não tinha a mesma opinião de Sá Fernandes. Então hoje já está de acordo com ele sobre o que fazer?

Serra Lopes: Nós achamos sempre a mesma coisa, mas antes de acharmos, achamos coisas diferentes... por isso é que não somos um advogado, mas sim dois!

A isto eu chamo capacidade de improvisação!




Portem-se mal, mas com classe!

7.12.04

Nótulas soltas...

A ‘pré-campanha’ iniciou-se na semana passada com um discurso inflamado de José Sócrates.
Em muitos minutos à político (pouco ou nada do que disse interessa!) deu razão aos que o consideram um adversário à altura de Pedro Santana Lopes (fica para já por saber se isso é um elogio!) e acabou com uma exclamação enigmática:

“O PS quer a maioria, não para governar arrogantemente sem ter que dar contas a ninguém, mas para se conseguir a estabilidade que Portugal precisa!”

Ora eu pergunto, não quererá o PSD também uma maioria dessas? E o BE, não acharia também piada a uma estabilidade com o Louçainotrotsky no leme?

Acham que alguém pensa que os políticos gostam de maioria para não darem ‘cavaco’ a ninguém? Eu cá não acredito...



Portem-se mal, mas com classe!